O Senado dos Estados Unidos aprovou, por 74 votos a favor e 25 contra, o plano de socorro ao mercado financeiro proposto pelo governo do presidente George W. Bush. A votação aconteceu na noite desta quarta-feira.

Os candidatos à Casa Branca Barack Obama e John McCain votaram a favor do plano.

O plano original foi alterado após ter sido reprovado, na última segunda-feira, pela Câmara dos Estados Unidos. Depois da aprovação no Senado, o pacote deverá ser votado novamente na Câmara na próxima sexta-feira.

O novo plano inclui uma cláusula sobre reduções tributárias rejeitada na segunda-feira pela Câmara de Representantes.

Também determina que os seguros federais aplicados sobre os depósitos de até US$ 100 mil passarão a abranger montantes de até US$ 250 mil. Segundo Reid e McConnell, a redução tributária poderia ajudar a conseguir o voto dos republicanos.

Na segunda-feira, a Câmara de Representantes rejeitou por 225 votos a 208 uma versão do resgate financeiro que os dirigentes do Congresso e a Administração Bush tinham negociado durante o fim de semana.

A rejeição de contribuintes teve grande peso para a decisão dos deputados de não aprovarem o plano de resgate. A maior parte dos votos contra o pacote partiu do Partido Republicano, o mesmo do presidente George W. Bush, que está em final de mandato. Por isso, a nova versão do pacote de ajuda ao sistema financeiro trouxe mudanças que pretendem atender aos contribuintes - e eleitores.

(Com informações do Valor Online, Agência Estado e Reuters)

Mais notícias

Para saber mais

Serviço 

Opinião

Leia mais sobre o plano de resgate financeiro dos EUA

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.