Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Sem-terra ocupam banco em São Paulo

Militantes do Movimento dos Sem-Terra (MST) invadiram na manhã de ontem duas agências regionais do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) no interior de São Paulo - em Teodoro Sampaio, no Pontal do Paranapanema, e em Araraquara. Outro grupo, com 60 integrantes, ocupou a agência da Nossa Caixa em Presidente Prudente.

Agência Estado |

As ações fazem parte da nova jornada nacional de luta do MST, iniciada na segunda-feira, para cobrar do governo federal mais rapidez na reforma agrária.

No Rio Grande do Sul, cerca de 600 assentados e acampados do MST na região do município de Nova Santa Rita, a 30 quilômetros de Porto Alegre, iniciaram uma marcha, também com o intuito de chamar a atenção para a lentidão da reforma. Eles caminharam ontem pelas rodovias BR-386 e BR-116 e acamparam em Canoas, onde participarão de debates sobre a questão agrária.

No domingo eles voltam a marchar, rumo à capital. Na segunda-feira juntam-se a outros militantes para um ato público em defesa da liberdade de manifestação do MST. O ato ocorrerá um dia antes da primeira audiência de um processo movido pelo Ministério Público Federal, em Carazinho, contra oito militantes da organização, acusados de crimes contra a ordem política e social.

Para hoje está previsto o início de uma nova marcha, na região do Pontal do Paranapanema, no interior de São Paulo, organizada por grupos ligados ao líder José Rainha Júnior. Embora ele se apresente como dissidência do MST, a manifestação também é para protestar contra a lentidão da reforma agrária. De acordo com Rainha, os grupos saem de três cidades - Santo Anastácio, Martinópolis e Tarabai - e caminham durante três dias em direção a Presidente Prudente.

Paralelamente, militantes do MST mantinham ontem as ocupações das sedes das superintendências do Incra em sete capitais, realizadas na segunda-feira, o primeiro dia da jornada. Eles só devem sair após discutirem suas reivindicações com os superintendentes regionais.

A jornada deve prosseguir durante toda a semana. Amanhã, dirigentes e advogados do MST vão anunciar em São Paulo que recorrerão à Comissão de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA) contra as ações do Ministério Público no Rio Grande do Sul.

Em Presidente Prudente, a agência da Nossa Caixa, controlada pelo governo estadual, foi ocupada por volta das 10 horas. Segundo os dirigentes dos sem-terra, o objetivo era reivindicar a renegociação de débitos agrícolas dos assentados da região. À tarde, os invasores deixaram o local, depois da promessa de um encontro, na próxima semana, para discutir a proposta.

As ocupações do Incra em Teodoro Sampaio e em Araraquara mobilizaram em conjunto quase 200 militantes. As informações são do O Estado de S. Paulo

*C/ Brás Henrique, José Maria Tomazela e Elder Ogliari

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG