Tamanho do texto

SÃO PAULO - A semana deve começar com perdas acentuadas na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Refletindo o pessimismo externo, o índice futuro opera em forte baixa na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F).

Há pouco, o Ibovespa com vencimento em abril caía 2,72%, para 41.050 pontos.

Dia negativo também em Wall Street, onde o setor automobilístico está no foco dos agentes. A Casa Branca rejeitou os planos de recuperação da General Motors (GM) e da Chrysler e sugeriu que um falência planejada das duas empresas possa ser a melhora saída. O presidente da GM, Rick Wagoner, foi destituído do cargo a pedido do governo no domingo.

Para a Chrysler, o governo deu um prazo de 30 dias para negociar uma união ou parceria com a italiana Fiat. Se a companhia chegar a um acordo antes desse prazo, o governo liberará US$ 6 bilhões.

O assunto está na pauta do presidente americano Barack Obama, que tem um discurso agendado para hoje.

No âmbito interno, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, vai anunciar novas medidas de estímulo à economia.

Na Europa, as venda já são acentuadas, além das montadoras, bancos e empresas de commodities também oscilam em território negativo. Há pouco, o FTSE-100, de Londres, perdia 2,10%, enquanto o Xetra-DAX, de Frankfurt, desvalorizava 3,17%.

Com a aversão ao risco em alta, os agentes buscam proteção na moeda americana, que voltou a ser negociada acima de R$ 2,30 pela primeira vez desde 13 de março. Fora isso, alguns especialistas identificam pressão compradora por parte dos comprados, já que o Banco Central (BC) não acenou com a rolagem de cerca de US$ 4 bilhões em contratos de swap que vencem em abril. Há pouco, o dólar comercial era transacionado a R$ 2,313 na venda, alta de 0,87%.

Logo mais, o BC realiza leilão de linha no qual oferta dólares com compromisso de recompra em data futura.

A sexta-feira foi de realização de lucros tanto aqui quanto em Wall Street depois de uma semana de ganhos expressivos seguindo o detalhamento do plano saneamento dos bancos americanos e do anúncio do pacote habitacional do governo brasileiro.

Ao fim da jornada o Ibovespa apontava queda de 1,60%, aos 41.907 pontos. O giro financeiro foi baixo, somando R$ 3,09 bilhões. Apesar da perda no dia, o índice ainda acumulou ganho de 4,57% na semana.

Na Bolsa de Valores de Nova York (Nyse, na sigla em inglês) o Dow Jones teve queda de 1,87%, para 7.776 pontos, e o Nasdaq Composite cedeu 2,63%, a 1.545 pontos. Já na semana, o Dow Jones aumentou 6,84% e o Nasdaq apresentou valorização da ordem de 6%.

As notícias do domingo nos Estados Unidos bateram primeiro nos mercados asiáticos, onde o Nikkei 225, da bolsa de Tóquio, caiu 4,53%. Seul perdeu 3,24% e Hong Kong e Xangai desvalorizaram 4,70% e 0,69%, respectivamente.

(Eduardo Campos | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.