A Apple Inc. informou ontem que vai eliminar a proteção contra cópias das canções digitais vendidas pela internet e apresentou seu primeiro laptop com tela fina de 17 polegadas.

Mas, com essas novidades, consideradas fracas, ou a presença de sua principal celebridade, Steve Jobs, a abertura do evento Macworld desapontou quem esperava alguma novidade mais empolgante.

"Houve alguns produtos inovadores, mas nenhum verdadeiro blockbuster", disse Robert Francello, chefe da empresa de equity Apex Capital, em San Francisco.

As novidades da Apple foram apresentadas pelo principal executivo de marketing da empresa, Philip Schiller.

A Apple informou que sua loja de músicas iTunes, que já vendeu 6 bilhões de canções no formato digital até o momento, vai oferecer seu acervo de 10 milhões de músicas livres do software de proteção a cópias no fim do trimestre, por preços que vão variar entre US$ 0,69 e US$ 1,29.As canções poderão ser compradas por meio do iPhone, em vez de somente pelo computador.

O evento de ontem produziu poucas surpresas. A Apple anunciou também um um laptop de 17 polegadas que é o mais fino da marca MacBook Pro, ao custo de US$ 2,8 mil. A bateria também terá uma duração maior, segundo a fabricante: de sete a oito horas, além de suportar um maior número de recargas. A desvantagem é que ela fica instalada na parte interna do computador, e o usuário não consegue removê-la caso precise de reposição.

A empresa também anunciou softwares para filmes domésticos e fotografias. O software iPhoto09, por exemplo, consegue reconhecer as pessoas fotografadas e fazer buscas de fotos baseadas em quem aparece nelas. A companhia decidiu não usar o Macworld deste ano para fazer um grande lançamento de produto, como fez nos anos anteriores, quando apresentou produtos inovadores, como o iPhone.

Em anos passados, os lançamentos apresentados pela Apple no Macworld chegaram a ofuscar gigantesca feira de eletrônicos de consumo Consumer Electronics Show (CES). A edição de 2009 da CES ocorre a partir de hoje, em Las Vegas. Jobs lamentou que sua decisão de não participar do evento tenha desencadeado "outra onda de rumores de que estaria no leito de morte". Anteontem, o presidente da Apple - que já fez tratamento para um câncer no pâncreas - informou que está sofrendo de um desequilíbrio hormonal, que causou a excessiva magreza que apresenta nos últimos meses.

Oficialmente, a Apple disse que Jobs não subiria ao palco porque este ano a companhia faz seu último comparecimento na mostra, que é realizada por outra companhia, o IDG, grupo de tecnologia de mídia. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.