A dificuldade na obtenção de crédito fez com que a Scorpion Deepwater rescindisse o contrato para a construção de uma sonda semissubmersível de perfuração, com o estaleiro Keppel Fels, em Cingapura, que seria entregue à Petrobrás. Trata-se de uma das 12 unidades contratadas pela estatal para perfurar a camada pré-sal da Bacia de Santos a partir de 2012.

Indagada sobre o problema, a estatal respondeu que não comentaria o assunto, já que o único contrato rompido não a envolvia, pois foi firmado entre a Scorpion e a Keppel. Segundo fontes, a Keppel e a Scorpion continuam mantendo conversações para substituir a contratante por uma outra com crédito para assumir a obra.

Caso não consigam, a Scorpion terá de romper o contrato com a Petrobrás, o que em tese pode ser melhor para a estatal, já que o valor das sondas vem caindo nos últimos dias, em decorrência da redução do valor do barril de petróleo. O contrato para a construção das 12 sondas é de US$ 8 bilhões.

O afretamento da Scorpion para a Petrobrás estava avaliado em US$ 1,1 bilhão pelo mercado. Já o contrato entre a Scorpion e a Keppel era de US$ 700 milhões, dos quais US$ 74 milhões já haviam sido adiantados para o estaleiro. O valor fica como uma espécie de multa pelo cancelamento do contrato.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.