A companhia aérea Alitalia anunciou que não poderá mais realizar qualquer vôo a partir de domingo, por falta de combustível para abastecer suas aeronaves. Até amanhã temos vôos garantidos, mas na segunda-feira, ninguém vai nos abastecer com querosene, disse Augusto Fantozzi, administrador especial nomeado pela Alitalia no mês passado.

A declaração foi feita após reunir-se com representantes de nove sindicatos, em mais uma tentativa de salvar a companhia aérea da falência.

O governo italiano disse que irá reunir-se com os sindicatos representantes de funcionários nos próximos dias para tentar retomar o diálogo com um consórcio de investidores interessados em adquirir a companhia aérea italiana, publicou o jornal italiano Il Sole 24 Ore.

O ministro de trabalho da Itália, Maurizio Sacconi, e o ministro da Infra-Estrutura, Altero Matteoli, irão se reunir amanhã com os líderes de quatro principais sindicatos para discutir o problema. O governo italiano detém uma participação de 49,9% na companhia com sede em Roma.

As negociações em torno de corte de salários e mudanças de contratos foram interrompidas depois que nove sindicatos recusaram um plano apoiado pelo governo de venda de partes da Alitalia para a Compagnia Aerea Italiana ou CAI, empresa formada pelo empresário Roberto Colaninno e um grupo de investidores.
Ontem, a CAI indicou que as negociações estavam em risco quando divulgou afirmando que "as condições não existem" para dar continuidade às conversações de venda da Alitalia, que entrou com pedido de concordata em 29 de agosto. A CAI abandonou as negociações e interrompeu o processo de avaliação da Alitalia, iniciado na quarta-feira.

Os sindicatos não aceitaram a demanda da CAI de mudanças nos contratos de trabalho de seus 18 mil empregados, entre as quais estão corte de salários, medidas para aumentar a produtividade e dispensa de entre 5 mil a 7 mil funcionários. A CAI, que está pronta para investir 1 bilhão de euros na companhia aérea, tem dito que a aprovação destas mudanças é condição para o aquisição da Alitalia. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.