Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Sem citar a Positivo, Lenovo confirma buscar aquisição

A chinesa Lenovo, quarta maior fabricante mundial de computadores, confirmou ontem que está em negociação preliminar sobre um possível investimento ou aquisição, um dia depois que suas ações dispararam com rumores sobre uma possível transação. A empresa não disse quem é o possível alvo, mas, segundo fontes, a empresa negocia a compra da brasileira Positivo Informática.

Agência Estado |

Como seus rivais mundiais, a Lenovo vem enfrentando queda de demanda, por causa da desaceleração da economia mundial e da redução dos gastos em tecnologia pelos consumidores e empresas.

A Lenovo tem grandes reservas de caixa e se declarou aberta a aquisições, como parte da consolidação que é esperada no setor de computadores. Mas afirmou que, por enquanto, não existem negociações formais. Além do possível interesse na Positivo - empresa na qual a americana Dell também estaria interessada -, outro possível alvo para a Lenovo seria a divisão Fujitsu-Siemens de computadores do grupo Fujitsu.

"Os diretores confirmam que a empresa realizou certas discussões preliminares com partes terceiras independentes sobre possíveis oportunidades de investimento e aquisições", afirmou o presidente do conselho do Lenovo, Yang Yuanqing, em comunicado. As ações do Lenovo subiram 27% na quarta-feira por causa das especulações sobre um acordo. Ontem, porém, caíram 0,5%.

Os rumores também impulsionaram as ações da Positivo esta semana. Na terça-feira, chegaram a subir 46%. Antes que surgissem os rumores sobre um acordo, as ações da Positivo haviam caído 87% este ano, e as da Lenovo, 75%.

De acordo com a Daiwa Securities, a fatia de mercado mundial combinada do Lenovo e da Positivo seria de 7,9%, o que não bastaria para ajudar o Lenovo a reduzir significativamente sua desvantagem diante da Acer, de Taiwan.

A Lenovo poderia financiar a aquisição da Positivo sozinha, evitando os problemáticos mercados de crédito globais, já que tem cerca de US$ 2 bilhões em caixa.

Segundo o banco JP Morgan, a Lenovo tem buscado uma aquisição há algum tempo para conseguir cumprir sua meta de crescimento. "Então, se o preço for correto, a Lenovo pode ter interesse em pagar um pequeno prêmio por uma aquisição", disse Charles Guo, analista do JP Morgan. Ele acrescentou que, de acordo com o critério da Lenovo, qualquer companhia alvo deve estar posicionada entre nomes regionais e ter vendas de mais de 2 milhões de Pcs.

Nos primeiros nove meses do ano, a Positivo vendeu 1,2 milhão de PCs, ante 941 mil unidades no mesmo período de 2007. Em todo o ano passado, a empresa registrou vendas de 1,39 milhão de computadores. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG