Seis meses após o lançamento do programa Minha Casa Minha Vida, só 45.824 moradias foram vendidas no País.

Os dados são da Caixa Econômica Federal e vão até o dia 9 deste mês. O total vendido até agora é menos de 5% da meta de 1 milhão de casas previstas pelo governo.

Segundo a Caixa, do início do programa, em 14 de abril, até sexta-feira da semana passada foram contratadas 95.659 moradias. Isso significa que essas habitações já têm o aval do governo para serem comercializadas dentro do programa.

"Os resultados até agora são relativamente baixos", avalia o presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon- SP), Sergio Watanabe. Ele acredita que as vendas devem se acelerar daqui para frente. A Caixa, diz ele, acredita que vai fechar o ano com propostas para construção de 400 mil moradias. Até dia 8 deste mês, a instituição analisava projetos para erguer 348.165 moradias.

Segundo Watanabe, o processo é lento para aprovar os projetos. Essa também é a avaliação do vice-presidente de Programas Habitacionais do Secovi-SP, Flávio Prando. "A Caixa, como órgão público, não tem a agilidade de um empresa privada. Falta pessoal para fazer mais contratações por mês", afirma Prando.

Apesar da lentidão das vendas, as construtoras voltadas para a baixa renda comemoram o desempenho do programa. A HM Engenharia, por exemplo, do Grupo Camargo Corrêa, já vendeu 916 casas e apartamentos dentro do programa, que estão em construção. "Temos 13 obras contratadas pela Caixa", conta o presidente da empresa, Henrique Bianco.

De acordo com o executivo, a mudança no ritmo de vendas cresceu exponencialmente com o programa habitacional. Antes de abril deste ano, a companhia comercializava mensalmente 139 moradias.De abril para cá, a média mensal saltou para 552, com alta de quase 300% no período. A perspectiva para este ano é que a empresa encerre 2009 com vendas de R$ 200 milhões, cifra quatro vezes maior que a de 2007.

A Tenda, empresa voltada para moradia popular da Gafisa, é outra que está satisfeita com o programa habitacional. Entre abril e junho deste ano, a companhia vendeu 4 mil moradias para famílias com renda entre 3 e 10 salários mínimos dentro do programa habitacional.

"Nossas vendas cresceram 45% em três meses", observa o diretor financeiro da empresa, Paulo Mazzali. Para este semestre, ele acredita que irá comercializar mais 9 mil moradias. "Atingimos um novo patamar de vendas com o programa habitacional. Ele responde por 90% das nossas vendas."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.