Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Sarkozy recebe cúpula financeira francesa para avaliar ajudas ao mercado

Paris, 14 out (EFE).- O presidente da França, Nicolas Sarkozy, recebeu hoje no Palácio do Eliseu os presidentes dos principais bancos e seguradoras do país para avaliar como aplicar o conjunto de medidas destinadas a auxiliar o mercado, como ele mesmo anunciou na última segunda.

EFE |

Após o encontro, o presidente da Federação Bancária Francesa (FBF), Georges Pauget, declarou aos jornalistas que a ajuda de até 360 bilhões de euros prevista pelo Governo francês para reativar o mercado de crédito "atende perfeitamente às necessidades da economia e às necessidades dos bancos".

Com o encontro de hoje já são três as reuniões entre Sarkozy e os representantes das principais instituições financeiras da França nas últimas duas semanas.

Hoje ficou acertado que os conselhos de administração dos bancos e seguradoras adotarão um código de boa conduta proposto pela FBF.

Além disso, será criada uma célula de acompanhamento que ficará em contato permanente com o setor para garantir formas de as famílias terminarem de pagar seus imóveis e aplacar as necessidades de financiamento das empresas.

Pauget destacou que os representantes dos principais bancos franceses se reunirão hoje à tarde para darem início às medidas previstas no plano.

Segundo o plano, o Estado garantirá os empréstimos novos de até cinco anos de duração adquiridos pelos bancos antes de 31 de dezembro de 2009. Para isto, previu um pacote financeiro máximo de 340 bilhões de euros, valor que não será alcançado, segundo Sarkozy.

Também pretende evitar o desaparecimento de bancos por meio da nacionalização parcial dos que forem atingidos pelas turbulências, e para isto disponibilizou verba de no máximo 40 bilhões de euros.

"A intervenção do Estado permite a volta à confiança dos mercados", acrescentou Pauget, que afirmou que os bancos comprometem a "propor uma oferta de crédito, principalmente às famílias e às pequenas e médias empresas" em resposta às necessidades expressadas.

Além disso, o primeiro-ministro da França, François Fillon, recebeu hoje de manhã a comissária de Concorrência da União Européia (EU), Neelie Kroes, para explicar a ela os detalhes do plano de salvamento dos bancos franceses.

Por outro lado, a ministra da Economia francesa, Christine Lagarde, defenderá hoje à tarde a proposta de Sarkozy, como projeto de lei de urgência, no Parlamento, que votará o texto.

O Partido Socialista (PS) se absterá na votação, assim como os Verdes, enquanto o Partido Comunista Francês (PCF) pode votar contra, já que existem divergências em alguns de seus pontos, segundo declararam hoje à imprensa alguns de seus dirigentes.

Apesar disso, o texto não encontrará dificuldades para ser aprovado, pois o partido do Governo, União por um Movimento Popular (UMP), conta com maioria no Parlamento. EFE jaf/wr/fal

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG