Na entrevista coletiva que reuniu 400 jornalistas no Palácio do Eliseu, o presidente francês Nicolas Sarkozy negou ter defendido a criação de um fundo de socorro aos bancos europeus, nos moldes do Plano Paulson anunciado pelo governo dos Estados Unidos. O projeto norte-americano prevê US$ 700 bilhões para garantir os títulos podres - de alto risco de calote - em poder do sistema financeiro local.

"Não me sinto bem ao falar deste assunto porque eu nunca assumi e nunca propus este projeto", disse o francês, também presidente em exercício do Conselho Europeu.

Sarkozy anunciou, a seguir, uma cúpula internacional para discutir a regulação do sistema financeiro mundial. A reunião acontecerá após a Cúpula da União Européia, prevista para 15 e 16 de outubro, em Bruxelas. "Uma verdadeira refundação vai acontecer", anunciou. "Nós nos comprometemos a organizar uma cúpula para que amanhã as mesmas causas não provoquem os mesmos problemas."

A reunião entre os chefes de Estado e de governo teve duração de três horas e foi sucedida do encontro com a imprensa de 30 minutos e de um jantar fechado às autoridades.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.