"Estamos decididos a respaldar o plano europeu de apoio ao euro", disse Sarkozy

O presidente da França, Nicolas Sarkozy, reunirá neste sábado vários membros de seu governo, responsáveis por pastas econômicas ou internacionais, para tratar a crise grega e o plano europeu de salvamento desse país. 

A reunião de trabalho organizada por Sarkozy contará com a presença do primeiro-ministro, François Fillon; com os ministros de Exteriores, Bernard Kouchner; Economia e Finanças, Christine Lagarde; e do Orçamento, François Baroin; e também com o secretário de Estado de Assuntos Europeus, Pierre Lellouche, informou a Presidência francesa em comunicado.

O encontro será realizado logo após o retorno à França do chefe de Estado, que está na China, onde se encontrou com a chanceler alemã, Angela Merkel, e com seu ministro das Finanças, Wolfgang Schäuble, e disse estar de acordo com eles sobre a definição do dispositivo de salvamento da Grécia. Sem dar detalhes, Sarkozy anunciou que "o plano definido pela Europa será aplicado de forma importante. Não deixaremos que a especulação atue a seu gosto para desestabilizar tal ou qual país. O plano decidido pela Grécia é perfeitamente crível", disse.

O Parlamento francês inicia na próxima segunda-feira a tramitação do projeto de lei retificador do Orçamento que inclui 3,9 bilhões de euro em empréstimos à Grécia no ano de 2010. Segundo o esquema pactuado pelos países da zona do euro no último dia 11, a França, com 6,3 bilhões de euros, é o segundo maior contribuinte do plano de salvamento europeu da Grécia, atrás apenas da Alemanha (8,4 bilhões). O montante total ficaria em torno de 30 bilhões, dinheiro que se somaria aos 15 bilhões que devem ser fornecidos pelo Fundo Monetário Internacional (FMI).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.