Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

São Martinho amarga prejuízo de R$ 40,4 milhões no trimestre fiscal

SÃO PAULO - A sucroalcooleira São Martinho fechou o seu segundo trimestre fiscal com prejuízo líquido de R$ 40,4 milhões, resultado pior que o prejuízo de R$ 32,1 milhões registrado em igual período de 2007. A empresa destaca que o desempenho do trimestre foi impactado negativamente pelo aumento da despesa com variações cambiais de aproximadamente R$ 27 milhões (sem efeito no caixa). No entanto, a companhia aponta que tais perdas serão compensadas no momento que realizar suas exportações.

Valor Online |

As principais operações que originaram tal despesa são captações em moeda estrangeira nas modalidades de ACC e Pré-Pagamento de Exportação.

No balanço, a São Martinho aponta que tem uma política conservadora de gestão financeira, e que seu objetivo ao contratar instrumentos financeiros derivativos é proteger o fluxo de caixa das flutuações do dólar e dos preços de açúcar no mercado internacional.

A companhia aponta que em 30 de setembro, possuía US$ 30,7 milhões vendidos em câmbio futuro na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM & F) através de contratos a termoa sem entrega física (NDF), ao preço médio de R$ 1,79 por dólar com vencimentos entre outubro de 2008 e março de 2009.

Do lado operacional, a empresa revelou que a receita líquida somou R$ 194,31 milhões, crescimento de 8,5% em comparação com igual período do ano passado. A comercialização de álcool anidro e hidratado cresceu expressivamente, respondendo por 67% da receita.

A geração de caixa medida pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) aumentou em mais de sete vezes, para R$ 39,249 milhões. A margem avançou 17,3 pontos percentuais, para 20,2%.

Avanço superior só foi registrado pela despesa financeira, que cresceu de R$ 4,62 milhões no segundo trimestre do ano passado, para R$ 56,58 milhões. Dentro desse item, a perda com variação cambial aumentou de R$ 378 mil, para R$ 27,214 milhões.

As vendas líquidas no mercado interno somaram R$ 129,19 milhões, crescimento anual de 55,4%, o que representa 66% da receita total. No mercado externo, as vendas recuaram 32,1%, somando R$ 65,11 milhões.

No mercado interno, o preço médio do álcool hidratado apresentou ganho de 21,9%, somando R$ 702,51 por metro cúbico, e o metro cúbico de álcool anidro subiu 25,4%, para R$ 837,15. Já o preço da tonelada de açúcar subiu apenas 0,6%, para R$ 416,6.

Já no mercado externo, o preço do álcool hidratado subiu 13,9%, para R$ 828,95, o anidro recuou 2,4%, para R$ 785,01, e a tonelada de açúcar caiu 13,9%, para R$ 402,60.

O custo do produto vendido apresentou queda de 1,1% no comparativo anual, totalizando R$ 119,46 milhões.

(Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG