Tamanho do texto

Madri, 28 jan (EFE).- O lucro recorrente -que exclui receitas extraordinárias- do Banco Santander cresceu 9,4% em relação a 2007, mas o lucro líquido atribuído caiu 2,03% no mesmo período, conforme antecipou hoje sua direção.

A paridade destes resultados se deve ao fato de que o grupo presidido por Emilio Botín decidiu destinar essas entradas extraordinárias a saneamentos e fortalecer seu balanço.

Isso impediu o banco de atingir seu objetivo inicial de chegar aos 10 bilhões de euros de lucro líquido em 2008, com um crescimento de 10,3%.

No lucro líquido atribuído, porém o grupo Santander caiu de 9,06 bilhões de euros (US$ 12 bilhões) em 2007 para 8,876 bilhões de euros (US$ 11,7 bilhões) em 2008 - uma queda de 2,03%.

Trata-se da primeira vez desde 2002 em que o grupo financeiro vê cair seus resultados, que naquele ano perderam 9,62% devido à perda dos mercados financeiros após a crise argentina e à forte queda das moedas latino-americanas.

O Santander inclui em seus resultados os 500 milhões de euros (US$ 662 milhões) que lhe custará a emissão de ações preferenciais para compensar os afetados pela fraude do escândalo do investidor americano Bernard Madoff.

A entidade anunciou que pagará um último dividendo de 0,257 euros por ação em 1º de maio pelos resultados de 2008.

O dividendo total pelo lucro do ano passado chega a 0,65 euros por título, mesmo número de 2007, mas o grupo financeiro precisará que gastar mais, porque seu número de ações aumentou 18%. EFE ecm/jp