Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Santander não comenta nacionalização do Banco da Venezuela

O maior grupo bancário espanhol, o Santander, se recusou nesta sexta-feira a comentar o anúncio por parte do presidente venezuelano Hugo Chávez da iminente nacionalização do Banco da Venezuela, atualmente controlado pelo grupo.

AFP |

 

"Não faremos comentários", declarou à AFP um porta-voz do grupo espanhol, sem descartar totalmente a possibilidade de que o banco apresente algum comunicado sobre o tema mais tarde.

"Eles (o Santander) disseram que não estavam interessados em vender, e eu disse a eles que quero comprá-lo e vou fazê-lo. Vamos nacionalizar o Banco da Venezuela", afirmou Chávez em um discurso transmitido por uma rede de rádio e televisão.

O porta-voz do Santander em Madri também se recusou a confirmar ou desmentir se o grupo espanhol desejava efetivamente se desfazer do Banco da Venezuela, um dos bancos mais importantes da Venezuela.

As ações do Santander caíam 1,38% a 12,17 euros, nesta sexta-feira às 12h13 (07h13 de Brasília) na Bolsa de Madri, ou seja, pouco mais que o índice referencial, Ibex-35, que perdia 1,25% na mesma hora.

O Santander advertiu recentemente para os riscos que seus ativos estavam correndo na Venezuela.

Leia mais sobre Santander

Leia tudo sobre: santander

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG