SÃO PAULO - O investidor estrangeiro seguiu firme na ponta de compra da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) durante a terceira semana de março. O saldo de negociação direta estava positivo em R$ 1,786 bilhão no acumulado do mês, até o dia 19.

Tal comportamento do não residente ajuda a explicar a elevação de 3,5% que o Ibovespa acumulou em março até o pregão da última sexta-feira.

O resultado poderia ter sido ainda melhor se o estrangeiro não tivesse retirado R$ 340 milhões apenas no dia 19.

Contribuindo também para a valorização do índice, os investidores institucionais apresentaram compras R$ 693 milhões maiores que as vendas no mesmo período.

Por outro lado, as pessoas físicas seguem como as principais vendedoras. No acumulado até o dia 19, os pequenos investidores tinham saldo negativo de R$ 2,054 bilhões, respondendo por 30,9% de todas as compras e vendas da Bovespa.

A maior participação, entretanto, é do investidor institucional, com 31,97%. Em terceiro lugar, aparecem os estrangeiros, com 25,09%.

No acumulado do ano, o saldo do investidor não residente segue negativo em R$ 1,567 bilhão.

(Beatriz Cutait | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.