Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Salário médio real nas empresas subiu 5,6% de 2000 a 2006, diz IBGE

SÃO PAULO - O Cadastro Central de Empresas (Cempre) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelou que, entre 2000 e 2006, o salário médio mensal real subiu 5,6% nas 5,7 milhões de companhias registradas no país. O salário médio nas grandes empresas e outras organizações cresceu 3,8%, e o do subgrupo com mil ou mais pessoas ocupadas, 4,1%.

Valor Online |

O maior salário médio mensal, em 2006, foi no subgrupo com mil ou mais pessoas ocupadas, com R$ 1.700,75; seguido pelas grandes empresas (com 250 funcionários ou mais) como um todo, com R$ 1.550,56; e depois pelo total do Cempre, com R$ 1.208,64). O salário médio mensal geral do Cempre foi influenciado pelo salário médio mensal das entidades de menor porte (zero a 249 pessoas ocupadas) que foi R$ 797,65.

Mas, se medido em salários mínimos médios, o salário médio mensal das empresas e outras organizações reduziu-se de 5 para 3,6 salários mínimos médios no período. O fenômeno foi igualmente observado não só nas empresas (de 4,7 para 3,2 salários mínimos médios) como nas entidades sem fins lucrativos (de 4,7 para 3,5 salários mínimos médios) e na administração pública (de 6 para 4,7 salários mínimos médios). Entretanto, de 2005 para 2006, observou-se uma pequena recuperação na administração pública (de 4,6 para 4,7 salários mínimos médios).

Essa redução, em salários mínimos foi ligeiramente maior nas empresas e outras organizações de maior porte. (de 6,5 para 4,6 salários mínimos médios). No subgrupo das empresas com mil ou mais pessoas ocupadas, a redução foi de 7,1 para 5 salários mínimos médios.

Do total das empresas, cerca de 82,6% tinham de zero a quatro pessoas ocupadas e 0,3% tinham de 250 ou mais pessoas ocupadas, sendo que este último grupo empregava 54,6% dos assalariados.

Nas empresas com até quatro ocupados, o número de assalariados é normalmente inferior ao dos sócios e proprietários. Em 2006, o número de pessoas ocupadas neste grupamento representava 16,6% do total do Cempre, sendo apenas 4,6% o total de pessoas assalariadas.

Em 2006, em média, havia sete pessoas ocupadas por empresa e outras organizações, com destaque para as atividades de Produção e distribuição de eletricidade, gás e água, com 106 pessoas ocupadas, em média, por empresa, e as atividades de Administração pública, defesa e seguridade social, com 511 pessoas.

Para o grupo das grandes empresas e outras organizações e o subgrupo das 1.000 ou mais, convém destacar as atividades de Intermediação financeira, seguros, previdência complementar e serviços relacionados, com as maiores médias registradas no período analisado (2.945 e 8.508 pessoas ocupadas, respectivamente).

Vale ressaltar que, do número total de empresas ativas em 2006, 71,4% estavam concentradas nos seguintes segmentos econômicos: comércio (48%), atividades imobiliárias (14,1%) e atividades industriais, representadas pelas Indústrias de transformação, com 9,3% das empresas.

(Rafael Rosas | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG