Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Saída de dólares liquida posições compradas de bancos

Por Silvio Cascione SÃO PAULO (Reuters) - A saída de dólares do país superou a entrada em 1,205 bilhão de dólares no início de março, informou o Banco Central nesta quarta-feira, anulando o saldo positivo acumulado no ano.

Reuters |

A saída, aliada às compras do Banco Central, também praticamente eliminou o estoque da moeda norte-americana em posse dos bancos --o que pode ter favorecido a recente queda do dólar, atualmente no menor patamar desde meados de janeiro, a 1,767 real.

Houve saída líquida na primeira semana de março tanto no segmento financeiro, com 908 milhões de dólares, quanto no comercial, com 297 milhões de dólares. No ano, o país agora registra déficit de 530 milhões de dólares no movimento de câmbio.

O BC informou ainda a compra de 797 milhões de dólares em operações liquidadas entre 1o e 5 de março. O número supera o montante liquidado em todo o mês de fevereiro, quando foram adquiridos 350 milhões de dólares em leilões.

A saída de dólares e as compras do BC praticamente zeraram as posições compradas de bancos, de acordo com cálculos de mercado.

As instituições financeiras tinham 2,07 bilhões de dólares em posições compradas no final de fevereiro, último dado divulgado pelo BC.

De acordo com Sidnei Nehme, diretor-executivo da NGO Corretora, a partir do momento em que os bancos zeraram suas posições compradas, a queda do dólar passou a ser interessante porque eles podem recompor suas posições com o fluxo previsto para as próximas semanas a uma taxa de câmbio mais baixa.

Há diversas ofertas de ações previstas, com destaque para os possíveis 9,9 bilhões de reais da companhia de estaleiros OSX.

O próprio fluxo registrado nos últimos pregões, com os estrangeiros comprando 1,48 bilhão de reais em ações em termos líquidos no acumulado do mês, já pode ter ajudado a reforçar as posições dos bancos.

"É um movimento de oportunidade", disse, ponderando que não vê na recente queda do dólar o início de uma tendência. "(O BC) só não pode deixar os bancos ficarem vendidos", caso não queira ver o dólar mais barato, completou.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG