Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Safra recorde e carne impulsionam agropecuária, avalia consultor

São Paulo, 10 - A agropecuária foi o setor que mais contribuiu para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) no segundo trimestre do ano, segundo dados divulgados hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE). Enquanto o PIB do Brasil cresceu 6,1% no segundo trimestre, o PIB da agropecuária foi além e avançou 7,1% em relação ao mesmo período do ano passado.

Agência Estado |

"Esse crescimento é totalmente justificado. Temos um bom crescimento na safra de grãos e na produção de todas as carnes. Acredito que o PIB da agropecuária encerre o ano com um crescimento entre 5% e 5,5%", afirma Fábio Silveira, analista da RC Consultores.

Segundo dados do próprio IBGE, o Brasil colheu em 2008 uma safra recorde de 145,1 milhões de toneladas, o que representou um crescimento de 9% em comparação à safra do ano passado. Além disso, o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) do IBGE indica que a produção de cana-de-açúcar, produto de grande importância para setor produtivo nacional, também atinja um novo recorde e alcance 591,4 milhões de toneladas neste ano. "Tivemos uma boa safra de verão no ano passado e apesar do aumento dos custos de produção ainda conseguiremos plantar outra boa safra neste ano", afirma o economista Guilherme Dias, professor da Universidade de São Paulo.

O professor lembra que dois importantes produtos tiveram um bom desempenho neste ano. Segundo Dias, a produtividade da safrinha de milho e das lavouras de trigo foram muito melhores do que no ano passado, quando as duas culturas tiveram um desempenho abaixo do esperado. Para ele, nem mesmo a recente queda dos preços das commodities agrícolas no mercado internacional, deve limitar a manutenção do crescimento do PIB do setor este ano. "Estamos sem más notícias e o ano é positivo para o agronegócio. A queda dos preços externos não está sendo sentida aqui no Brasil, já que o câmbio está compensando essa desvalorização", afirma Dias.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG