Por Roberto Samora SÃO PAULO (Reuters) - A safra 2008/09 de laranja do Estado de São Paulo, responsável por quase 90 por cento da produção brasileira, foi reduzida para 360 milhões de caixas de 40,8 kg, ante 368,2 milhões de caixas na previsão de maio, informou nesta quarta-feira o IEA (Instituto de Economia Agrícola), ligado ao governo paulista.

Na temporada anterior (2007/08, ano industrial de julho a junho), São Paulo produziu 365,8 milhões de caixas.

Na sua segunda estimativa para a safra 08/09, o governo cita a influência da doença greening como redutor da produtividade média dos pés nas regiões mais tradicionais.

Além disso, uma seca na época da florada no final do ano passado também afetou a produtividade da safra, segundo analistas.

A produção de laranja para a indústria no Estado será de 306 milhões de caixas, contra 316 milhões previstos na estimativa anterior.

A safra da laranja de mesa, para consumo doméstico, foi estimada em 54 milhões de caixas, ante 49 milhões na previsão de maio, acrescentou o IEA, que a partir de agora divulgará discriminadamente os números da fruta para indústria e consumo doméstico.

No ranking da produção, a região de Barretos ainda ocupa o primeiro lugar, com 45 milhões de caixas, seguida por São João da Boa Vista (31 milhões), Limeira (30 milhões) e Araraquara (29 milhões).

De acordo com o IEA, em número de pés, são 41 milhões de novas árvores e 191 milhões em produção, número acima do apontado pelo setor produtivo.

Por município, Avaré, no sul do Estado, ocupa o primeiro lugar no ranking de produção, com 5,4 milhões de novas plantas, seguido por Bauru e Botucatu.

"Esses números evidenciam a migração geográfica da laranja para o sul do Estado...", afirmou o IEA.

Essa migração vem sendo feita pela indústria com o objetivo de desenvolver pomares em áreas com menor incidência do greening.

"A influência do greening nos pomares paulistas voltados para a indústria fica explícita também no rendimento médio por pé. A região de Araraquara, uma das mais afetadas (e tradicionais), apresenta o menor rendimento de caixa/pé com 1,36, sendo a média estadual 1,88", afirmou um relatório do IEA.

Em Avaré, a produtividade chega a 2,24 caixas por pé e em Botucatu, a 1,99 caixa.

PRODUTOR VÊ SAFRA MENOR

Para o presidente da Associação Brasileira dos Citricultores (Associtrus), Flávio Viegas, a estimativa de safra do IEA está superestimada, pois o órgão trabalharia com um parque produtivo em São Paulo maior do que realmente é.

"Acho que eles precisam fazer uma nova avaliação do parque produtivo, estão prometendo isso para o ano que vem. O parque produtivo (para laranja da indústria) é de 150 milhões de árvores, são dados da própria indústria", disse Viegas.

Para a Associtrus, a safra de laranja para a indústria deveria ser de cerca de 260 milhões de caixas, considerando o atual parque em produção.

Além do greening, o presidente da Associtrus destacou que a safra 08/09 sofreu com o tempo ruim. "Teve uma chuva fora de época (em junho de 2007), que induziu uma florada. E essa florada, seguida por um período de seca, abortou", explicou ele, lembrando que as chuvas só voltaram a ocorrer, após junho, em outubro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.