Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Sadia investe R$ 630 milhões em projeto em Mato Grosso

A Sadia anunciou ontem um investimento de R$ 630 milhões em um novo complexo agroindustrial em Campo Verde (MT), a 130 quilômetros de Cuiabá. O projeto prevê a construção de um abatedouro de frangos, uma fábrica de rações, um silo de estocagem de grãos e um incubatório para aves.

Agência Estado |

Os investimentos - sendo R$ 400 milhões da Sadia e R$ 230 milhões de produtores parceiros da região - serão feitos a partir de 2009.

Na semana passada, a empresa já havia divulgado o aporte de R$ 650 milhões em uma nova unidade de suínos em Mafra (SC), também com fábrica de rações e granjas de produção integradas. Os dois complexos fazem parte da estratégia da Sadia e de outros grupos agroindustriais de instalar fábricas próximas às regiões de produção de grãos, matéria-prima para a alimentação dos animais. "Na mesma planta, próxima às lavouras, teremos os armazéns, fábrica de rações e as áreas de criação dos animais. Isso reduz consideravelmente os custos com frete", afirma Gilberto Tomazoni, diretor-presidente da Sadia. "Não faz mais sentido transportar grãos de lá para cá em tempos de alta nos preços do petróleo, sem perspectiva de redução."

A unidade deve entrar em operação no segundo semestre de 2010, mas a empresa estima que o complexo funcionará a plena capacidade em 2011, com a expectativa de abate de 500 mil frangos por dia e produção de 80 mil toneladas de ração por mês. "Teremos lá o chamado ciclo completo de aves, com um incubatório de aves com capacidade para produzir 150 milhões de ovos férteis por mês, em um sistema integrado com 200 granjas da região", diz Tomazoni. Outro plano é ser auto-suficiente em energia, por meio de biomassa de eucalipto, a partir de 2013.

A empresa já produzia frangos em Campo Verde. O município de 23 mil habitantes, pólo produtor de milho, soja e algodão, ocupa a sétima posição no ranking das economias mais aquecidas de Mato Grosso. O empreendimento deve gerar 3,5 mil empregos diretos, e Tomazoni não esconde a preocupação com o preenchimento dos postos de trabalho. "Já estamos com dificuldades para encontrar mão-de-obra qualificada, provavelmente teremos de recrutar fora do Estado", diz. Segundo o executivo, até o final deste ano entra em operação a fábrica de Lucas do Rio Verde, também em Mato Grosso, projeto que recebeu investimento de R$ 800 milhões.

Fronteira

A estratégia das grandes empresas de instalar fábricas em regiões produtoras de grãos está mudando o mapa da agroindústria no País, segundo André Pessôa, sócio da Agroconsult, consultoria especializada em agronegócio.

"Esse movimento está se intensificando no Centro-Oeste, mas a tendência é que o Nordeste se torne o novo pólo atrativo para a agroindústria", afirma. Segundo ele, a produção de grãos vai crescer na Bahia, Piauí e Maranhão. "Essas serão as próximas regiões a receber grandes investimentos."

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG