Moscou, 14 dez (EFE).- A Rússia viaja ao fórum da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), na Argélia, disposta a coordenar passos com o cartel e inclusive a reduzir a extração para conter a queda do preço do petróleo, se essa medida tiver o apoio de outros produtores independentes, como México e Noruega.

Sem revelar suas cartas, o ministro da Energia russo, Serguei Shmatko, declarou que "a Rússia divulgará suas propostas sobre a redução da extração de petróleo no máximo em 17 de dezembro", o mesmo dia da reunião ministerial da Opep em Oran (Argélia).

O ministro ressaltou que "a Rússia está interessada em que se alcance uma postura conjunta dos países exportadores que não fazem parte da Opep".

Shmatko disse que a extração de petróleo "é cada vez menos atrativa, devido às elevadas despesas e os baixos preços", por isso admitiu que na Rússia, este ano, haverá "uma pequena queda", que não preocupa o Governo.

"Para nós, é mais substancial precisar as intenções e a postura da Opep, para anunciar se nos somamos a esses planos e exigências, e que os países produtores que não pertencem ao cartel atuem de forma combinada e, apesar de tudo, anunciem uma redução de suas cotas para manter preços justos do petróleo", ressaltou.

Acrescentou que o presidente do cartel, Chakib Khelil, lhe confirmou em conversa por telefone que "a Opep está preparando planos muito sérios de corte da extração".

O presidente russo, Dmitri Medvedev, disse, em novembro, que a Rússia coordenará seus passos com a Opep, outros produtores e também consumidores de petróleo, para conseguir preços "racionais e justos" que satisfaçam a todos.

"A Rússia quer que haja preços justos e estáveis. Não podem ser nem muito baixos nem muito altos, de tipo especulativo. Acho que devem ser preços racionais e justos, e vamos nos coordenar com o cartel e outros países e organizações, tanto dos que produzem quanto dos que consomem", disse. EFE si/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.