Tamanho do texto

Moscou, 14 jul (EFE) - A Rússia reconheceu hoje que reduziu o fornecimento de petróleo à República Tcheca, mas negou que isto seja uma resposta ao acordo entre o país e os Estados Unidos para instalar em território tcheco componentes do sistema de Defesa Nacional contra Mísseis americano. O comércio com a República Tcheca e outros parceiros tradicionais não está relacionado de nenhuma maneira com o problema do desdobramento do terceiro setor posicional do escudo antimísseis na Europa, declarou o vice-ministro de Exteriores russo, Serguei Kisliak. O diplomata confirmou que Moscou se propõe a tomar medidas militares em resposta ao desdobramento do escudo americano em território tcheco e polonês, exceto se os Estados Unidos demonstrarem que esse sistema não estará dirigido contra a Rússia. Quais medidas tomaremos dirão os especialistas militares, que são quem vão decidir, declarou, citado pela agência Interfax. Enquanto isso, o monopólio de oleodutos russo, Transneft, reconheceu que a Rússia reduziu as provisões de petróleo à República Tcheca, mas afirmou que isto se deveu a razões econômicas e não políticas. Isto não tem nada a ver com a política. É puro comércio, declarou o vice-presidente da Transneft, Mikhail Barkov, à Agência de Informação de Petróleo.

O funcionário explicou, sem dar nomes, que as duas companhias russas que fornecem petróleo ao Estado tcheco diminuíram essas entregas porque "encontraram possibilidades de refinar o petróleo na Rússia em condições mais vantajosas".

Ele afirmou também que essa queda no fornecimento será compensada bastante em breve por outra companhia russa, cujo nome também não precisou, que "está interessada" em exportar a commodity à República Tcheca. EFE si/rb/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.