Viena, 15 mar (EFE).- A Rússia, principal produtor mundial de petróleo não membro da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), propôs hoje, em Viena, uma redução coordenada do fornecimento da commodity para estabilizar os preços no mercado.

O vice-primeiro-ministro russo, Igor Sechin, apresentou ao início da 152ª conferência ministerial desse cartel uma série de medidas para conter a queda dos preços que baixaram do recorde histórico de julho do ano passado de quase US$ 150 por barril para os cerca de US$ 40 atuais.

Entre estas, destaca-se a proposta de uma ação coordenada entre a Opep e os produtores independentes de retirar petróleo do mercado, mas sem precisar a quantidade.

O vice-premiê anunciou que a Rússia reduzirá suas próprias provisões ao exterior, fomentando o consumo interno.

"Reduziremos a exportação de petróleo em função do aumento do consumo interno. Em particular, planejamos entregar aos produtores agrícolas 2 milhões de toneladas de combustível", disse Sechin, responsável no Governo russo do setor energético.

Além disso, Moscou propõe "aumentar os estoques de petróleo nos países produtores, com o desenvolvimento da infraestrutura apropriada", disse o vice-primeiro-ministro russo.

A Rússia também quer que se coordene "a política impositiva no setor petroleiro dos países consumidores", ao mesmo tempo em que propõe fomentar "contratos de venda a longo prazo", a fim de evitar a volatilidade no mercado.

Os ministros da Opep analisam hoje a situação no mercado petroleiro, que passa por um momento delicado devido ao incerto estado da economia mundial. EFE jk/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.