BERLIM (Reuters) - A Rússia poderia começar a exportar grãos, especialmente trigo, ao Brasil a partir de 15 de fevereiro, substituindo parte das compras que os brasileiros fazem junto à Argentina, informou uma autoridade do governo russo à agência Interfax. Segundo o chefe do Rosselkhoznadzor (agência de segurança alimentar), Sergei Dankvert, apesar de questões técnicas ainda não terem sido todas resolvidas, os contatos comerciais já poderiam ter início.

"Durante as negociações com nossos colegas brasileiros (nesta semana em Berlim), eliminamos quase todas as restrições que o Brasil coloca em termos de exportações de grãos. Apenas assuntos técnicos permanecem para serem resolvidos, mas conversas comerciais já podem começar agora", afirmou ele.

Todos os documentos necessários para as exportações de grãos russos ao Brasil serão oficialmente assinados depois de 15 de fevereiro, durante a feira Prodexpo, em Moscou, afirmou.

A Rússia poderia substituir parte do trigo que o Brasil tradicionalmente compra da Argentina, segundo Dankvert.

Em 2008, o Brasil importou 4,2 milhões de toneladas de trigo argentino, contra 5,6 milhões de toneladas em 2007.

As importações do produto argentino caíram no ano passado em meio a restrições impostas pelo país vizinho, que adotou uma rígida política de taxas para exportação, tentando também garantir a oferta interna.

"Por dificuldades, a Argentina não pode entregar o grão agora", disse Dankvert.

Apesar de não estarem suspensos, os embarques argentinos devem cair mais em 2009, já que o país vizinho colhe uma safra bem menor, afetada por seca e, segundo fontes da indústria, pela própria política de taxas argentina.

Após várias reuniões entre os ministérios da Agricultura da Rússia e Brasil em novembro de 2007, os países padronizaram requerimentos para exportações de grãos russos e assinaram um memorandum para a criação de um grupo de trabalho que poderia resolver questões fitossanitárias que possam surgir, disse ele.

As conversações visando suspender as restrições do Brasil às exportações de grãos da Rússia não foram simples, disse Dankvert.

Além de questões técnicas, as exportações de trigo da Rússia para o Brasil encontram uma dificuldade tarifária, pois a Argentina --embora não esteja atendendo completamente a demanda brasileira-- conta com isenção de taxas para vender o produto aos brasileiros, parceiros comerciais dos argentinos, por meio de acordos dentro do Mercosul.

A Rússia, o principal importador de carnes produzidas no Brasil, tem exportado anualmente de 10 a 15 milhões de toneladas de trigo nos últimos anos, entrando entre os principais exportadores mundiais, mas não exporta ao Brasil.

Já a Argentina terá um volume de trigo disponível para exportação, segundo o USDA, de 4,3 milhões de toneladas em 08/09, o mais baixo em muitos anos.

Nesta sexta-feira, a Argentina anunciou ter liberado para exportação um volume de 1,2 milhão de toneladas de trigo.

(Por Camila Moreira)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.