Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Rússia pede status de observador permanente na Opep

Oran (Argélia), 17 dez (EFE).- O vice-primeiro-ministro russo, Igor Sechin, disse hoje que seu país não solicitou ingressar na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Opep) durante a reunião de Oran, mas afirmou que desejaria um status de observador permanente na organização para uma melhor coordenação com o cartel.

EFE |

Em declarações à imprensa na sessão plenária da 151ª conferência ministerial da Opep, Sechin reiterou a necessidade de estabelecer "um diálogo regular sobre energia com a Opep" e destacou que um status de observador permanente "permitiria uma melhor coordenação".

A Rússia participa como convidado, junto a outros três países não membros da organização (Azerbaijão, Síria e Omã), na reunião da Opep em Oran e enviou à cidade argelina uma grande delegação liderada por Sechin.

O ministro de Petróleo saudita, Ali Naimi, afirmou hoje que "há um consenso" entre os membros do cartel para reduzir a cota de produção de petróleo da organização em dois milhões de barris diários.

"Todos os países-membros estão de acordo sobre o número de dois milhões de barris ao dia. Penso que será o número de redução anunciado quando a reunião terminar", disse Naimi em um breve recesso da sessão plenária.

A Rússia anunciou, por sua parte, que cortará em 320 mil barris diários sua produção para acompanhar a decisão da Opep e o Azerbaijão se mostrou disposto a reduzir a sua em 300 mil ao dia.

Os ministros seguem hoje negociando em Oran a decisão final dentro da Opep sobre redução da produção, e ao término dos debates está prevista uma coletiva de imprensa do ministro de Energia argelino e presidente em exercício do cartel, Chakib Khelil. EFE jg/rr

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG