Bruxelas, 12 jan (EFE).- O vice-presidente da companhia estatal russa Gazprom, Alexander Medvedev, anunciou hoje que amanhã às 9h (segundo o horário de Brasília), se não houver obstáculos ao trabalho de observadores, retomará o fornecimento de gás através da Ucrânia.

Ele disse não poder especificar, porém, em que momento o combustível chegará aos países europeus afetados pelo corte.

"O acordo finalmente foi assinado por todas as partes", disse Medvedev em entrevista coletiva depois de se reunir com o comissário europeu de Energia, Andris Piebalgs, para carimbar o que parece o pacto definitivo para recuperar o trânsito de gás para a Europa através da Ucrânia.

A condição para que a Rússia volte a abrir a torneira do gás é que os observadores europeus estejam em todos os pontos previstos no documento.

Segundo especialistas, desde o início do bombeamento na Rússia até o gás chegar à Europa costumam se passar cerca de 36 horas - um dia e meio.

O executivo da Gazprom afirmou que a partir de agora a firma acelerará os projetos do gasoduto "North Stream", e do Gasoduto da Europa do Norte (NEGP), que permitirá à Rússia fornecer gás diretamente à Europa, por baixo do Mar Báltico rumo à Alemanha, e do "South Stream", que pretende ligar à Bulgária.

"Quando estes projetos estiverem em andamento, não haverá mais problemas de provisão" através da Ucrânia, afirmou. EFE met/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.