Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Rússia e UE analisam crise do gás amanhã

Bruxelas, 5 dez (EFE).- Representantes da União Européia e do companhia de gás russa Gazprom reúnem-se amanhã para analisar o conflito pelo preço do gás com a Ucrânia que mantém suspenso o fornecimento para o país vizinho há cinco dias e que já afetou outros países europeus.

EFE |

As delegações comunitária e russa se encontrarão em uma capital européia, ainda por confirmar, indicou hoje em entrevista coletiva o porta-voz comunitário de Energia, Ferrán Tarradellas.

A UE será representada por Andris Kesteris, chefe do gabinete do comissário de Energia Andris Piebalgs; o diretor-geral de Energia e Transportes da Comissão Européia, Matthias Ruete; o ministro tcheco de Indústria e Comércio, Martin Rimam, e o embaixador tcheco para Segurança Energética, Vlaclav Bartuska.

Os representantes europeus viajaram hoje para Kiev onde devem se reunir com as autoridades ucranianas para abordar a crise.

A União Européia considera que o conflito tem caráter "comercial", e não político, e que cabe à Ucrânia e Rússia solucioná-lo, e que Bruxelas só se pode pressionar para que cheguem a "um acordo o mais rápido possível e definitivo", indicou Tarradellas.

Polônia, Hungria e Romênia registraram quedas em seus abastecimentos por causa do conflito, embora a pressão e o volume de gás já tinham sido restabelecidos hoje pela manhã.

Embora a situação possa variar, por enquanto "não há conseqüências graves para os consumidores nem para a indústria nem se esperam problemas nas próximas semanas", já que as reservas de gás da UE ainda são altas, entre 70% e 90%, destacou Tarradellas.

No entanto, países como República Tcheca, Eslováquia, Hungria, Bulgária e Grécia, que dependem em até 75% das importações procedentes da Rússia, estão muito expostos, por isso precisam ser prudentes, lembrou.

Hoje, reúnem-se em Bruxelas os embaixadores-adjuntos dos países da UE para analisar a situação e fechar uma resposta coordenada sobre o conflito. EFE mrn/jp

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG