Bruxelas, 13 jan (EFE). A Comissão Européia (CE) confirmou que Rússia e Ucrânia se comprometeram a permitir o acesso pleno e imediato aos observadores internacionais nos centros de fornecimento de gás dos dois países.

Segundo o porta-voz comunitário de Energia, Ferrán Tarradellas, esta informação foi divulgada pelos próprios observadores que se encontram nas dependências da companhia russa Gazprom e da ucraniana Naftogaz, mas eles ainda não receberam autorização para entrar nos centros de fornecimento.

"A situação é inaceitável e não existe nenhuma justificativa para este impedimento", disse à Agência Efe Tarradellas, que também considerou que a única solução possível é que as duas partes cumpram o que prometeram.

O fluxo de gás procedente da Rússia foi restaurado esta manhã, mas em um volume muito mais baixo que o normal (76 milhões de metros cúbicos, em vez de 350).

A crise do gás entre Rússia e Ucrânia começou no dia 1º de janeiro, e o corte afetou vários outros países europeus, especialmente Bulgária e Eslováquia. EFE mrn/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.