SÃO PAULO - A Rússia rechaçou a última oferta de cessar-fogo com relação ao conflito pela Ossétia do Sul, região separatista da Geórgia. Tanto russos como georgianos trocam acusações de detenção de várias pessoas e de continuidade de ataques.

Em nota, a Geórgia apelou à comunidade internacional e a grupos humanitários para uma ação e medidas efetivas visando à retirada da população do país da zona de confronto.

O governo russo também emitiu nota nesta segunda-feira denunciando a detenção de cidadãos russos na Geórgia. O presidente Dmitri Medvedev classificou a situação como inaceitável e a considerou uma violação do direito internacional.

Na quinta-feira da semana passada, forças da Geórgia atacaram separatistas em Ossétia do Sul com o objetivo de retomar o controle do território. A Rússia, que apóia a Ossétia do Sul, enviou tropas e veículos para expulsar as tropas da Geórgia.

O presidente da Geórgia, Mikhail Saakashvili, apoiou uma proposta de cessar-fogo elaborada pela União Européia, mas Moscou rejeitou o plano.

Amanhã, o dirigente francês Nicolas Sarkozy irá à capital russa para discutir o tema com Medvedev. A presidência francesa da União Europeia ofereceu à Geórgia e à Rússia um plano baseado no fim imediato das hostilidades e respeito à integridade territorial da Geórgia.

(Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.