Moscou, 10 nov (EFE).- O presidente do banco central da Rússia, Serguei Ignatiev, cifrou hoje em US$ 50 bilhões a fuga de capitais em outubro.

No entanto, Ignatiev afirmou ser contra o controle da divisa nacional, o rublo, e defendeu a continuidade da atual política de liberalização monetária.

"Não estamos falando em retomar o controle monetário, por enquanto unicamente falamos de medidas suaves", disse Ignatiev durante uma reunião do gabinete de ministros, segundo agências de notícias russas.

O vice-presidente do banco central russo, Alexei Uliukáyev, tinha previsto para outubro uma fuga de capitais inferior à de setembro, que foi de US$ 26 bilhões.

A entidade também previu que, devido à crise financeira, no final do ano a diferença entre a entrada e a saída de capitais na Rússia será de US$ 20 bilhões.

No final de outubro, o assessor econômico do Kremlin, Arkadi Dvorkóvich, disse que o rublo não será desvalorizado, apesar de ter perdido cerca de 15% de seu valor nos últimos três meses por causa da queda dos preços do petróleo e da recuperação do dólar. EFE io/ab/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.