A Cosan S.A.

Indústria e Comércio anunciou ontem que o diretor-presidente da empresa, Rubens Ometto, pediu renúncia de seu cargo em reunião do Conselho de Administração. Segundo nota assinada pelo diretor vice-presidente de Finanças e Relações com Investidores da companhia, Marcelo Martins, Ometto irá manter sua posição de presidente do conselho de administração, dedicando-se integralmente à gestão estratégica da Cosan. Em seu lugar, Marcos Marinho Lutz assumirá a presidência da Cosan a partir do dia primeiro de novembro.

Ometto, que estava na presidência da Cosan desde 1986, fez a transição da empresa de um grupo formado por usinas familiares para a gigante mundial do setor sucroalcooleiro, maior produtora de açúcar do mundo. Em 2005, a empresa abriu seu capital na Bovespa e, em dezembro de 2008, a Cosan foi a primeira empresa a comprar uma distribuidora de combustíveis, a Esso, estabelecendo-se nos dois lados da cadeia do etanol, produção e comercialização.

Em março, a Cosan fez nova expansão adquirindo a usina NovAmérica, criando uma empresa gigante com capacidade de moagem de 60 milhões de toneladas de cana e 23 usinas.

Nos últimos anos, Ometto diversificou a empresa não apenas na direção da distribuição de combustíveis, mas também em logística, com a criação da Rumo Logística, para embarque de açúcar, com a participação na Uniduto, alcoolduto que ligará o interior de São Paulo ao porto de Santos. Além disso, o grupo adquiriu o Terminal Portuário de Teaçu, junto com a NovAmérica, e criou a Cosan Bioenergia, para vender bioeletricidade produzida através da queima de bagaço.

NOVO COMANDO
O novo diretor presidente, Marcos Marinho Lutz, atual diretor vice-presidente Comercial e de Logística, juntou-se ao corpo executivo da Cosan S.A. em fevereiro de 2007. A Rumo Logística é sua menina dos olhos, de acordo com fontes próximas à empresa. Lutz é mestre em administração de empresas pela Kellogg Graduate School of Management e graduado em Engenharia Naval pela Escola Politécnica.

Antes de entrar na Cosan, Lutz atuou como diretor executivo de Infraestrutura e Energia na CSN e foi membro do conselho de administração da MRS Logística e Ita Energética. Foi também diretor superintendente da Ultracargo S.A., subsidiária de logística do Grupo Ultra.

A diversificação da Cosan ajudou a empresa a obter bons resultados apesar da crise. No primeiro trimestre da safra 2009/2010, a empresa registrou um lucro líquido de R$ 337,3 milhões, com uma margem de lucro de 9,5%. A receita ficou em R$ 3,5 bilhões, dos quais 61% vieram do negócio de distribuição de combustíveis. O açúcar foi responsável por 18% do total do faturamento e o etanol por 13%. A expectativa é de que, na safra atual, os investimentos atinjam R$ 1,4 bilhão e fiquem concentrados em cogeração e nos projetos das usinas de Jataí e Caarapó, que entram em operação neste segundo semestre.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.