Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

RS deve colher até 30% menos trigo, diz Stephanes

Brasília, 29 - O ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, afirmou hoje que as chuvas dos últimos dias no Rio Grande do Sul podem reduzir a colheita de trigo de 20% a 30%. Ele contou que também há preocupação com a qualidade do trigo que será colhido no Estado.

Agência Estado |

O ministro fez essas considerações ao responder a um questionamento do presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Rio Grande do Sul (Farsul), Carlos Sperotto. Eles participaram na tarde de hoje, na sede da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), da instalação da Câmara Setorial da Soja.

Sperotto contou que foram cultivados 900 mil hectares com trigo no Rio Grande do Sul este ano. Até agora, os produtores colheram apenas 10% desse total. As lavouras que foram colhidas, segundo ele, apresentaram rendimento de 50 sacas por hectare, produtividade considerada boa. "Mas os produtores estão perdendo as lavouras por causa da chuva", relatou Sperotto. Uma nova previsão da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) será divulgada no dia 6 de novembro.

Sperotto também criticou o governo por anunciar a liberação de recursos adicionais para o crédito rural. "São grandes anúncios que não chegam à ponta", disse. Stephanes, por sua vez, criticou as tradings, que tradicionalmente financiam a produção agrícola por meio de compras antecipadas. Os produtores reclamam que neste ano, elas reduziram a oferta de crédito. "Eu não fiquei muito feliz com a postura das tradings", disse.

O presidente da Câmara, Rui Prado, que preside a Federação da Agricultura e Pecuária do Mato Grosso (Famato), disse que as tradings abandonaram a postura agressiva no financiamento da safra e criticou também o governo. "O Tesouro também teria que ser mais agressivo no financiamento", disse.

Prado disse que o governo deveria corrigir os preços mínimos da soja para sinalizar ao produtor um preço compatível com os custos de produção no momento da comercialização da safra, no ano que vem. Para ele, o preço mínimo da soja deveria ser corrigido de R$ 20 por saca de 60 quilos para R$ 34. De acordo com a Famato, a área plantada com soja deve cair 3%. A queda na produção será de 10%. No Brasil, a área de soja deve cair de 5% a 7%, de acordo com Prado.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG