Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Royal Bank of Scotland pode pagar US$1,5 bi em bônus

Por David Milliken LONDRES (Reuters) - Rumores de que o Royal Bank of Scotland deve conceder a seus funcionários 1 bilhão de libras em bônus disseminaram discussões na Grã-Bretanha neste domingo, em uma época de aumento de desemprego em um cenário de recessão profunda.

Reuters |

O ministro das Finanças britânico, Alistair Darling, garantiu que os banqueiros que perderam muito dinheiro não receberiam bônus altos, mas ele afirmou que é muito cedo para seguir a medida do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e obrigar a restrição do pagamento dos banqueiros.

A Comissão Europeia já pediu que os governos nacionais limitassem os pagamentos nos bancos. Políticos da oposição disseram que a decisão de Darling de criar uma revisão da administração e remuneração dentro dos bancos é muito tardia para impedir uma onda de bônus altos.

O jornal Sunday Telegraph divulgou que os planos do RBS são de pagar perto de 1 bilhão de libras (1,47 bilhão de dólares) em bônus este ano, mesmo após o banco ter divulgado a maior perda financeira já registrada entre as empresas britânicas.

O RBS pediu ao governo um pacote de 20 bilhões de libras para permanecer funcionando no ano passado e agora é 70 por cento controlado pelo governo.

O Sunday Telegraph ainda informou que para garantir a ajuda governamental, o banco deveria limitar o pagamento de bônus em dinheiro em 25 mil libras. Outras remunerações poderiam ser realizadas através de ações e opções.

Os bônus planejados pelo RBS são 60 por cento menores dos pagos há um ano e o banco acredita que é obrigado por contratos a pagar a maioria dos bônus aos funcionários que vieram em 2007 com a aquisição do banco holandês ABN AMRO, segundo o jornal.

O RBS informou que não chegou a uma decisão final sobre o pagamento de bônus.

O porta-voz econômico da oposição conservadora, George Osborne, disse que casos como o do RBS fortalecem a possibilidade da imposição de restrições para pagamentos nos bancos.

(Reportagem adicional de Myles Neligan)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG