Cerveja sem álcool tem álcool, mas os rótulos das embalagens ignoram essa informação. A constatação é da Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Pro Teste), que avaliou cinco marcas de cervejas ditas sem álcool.

Em tempos de Lei Seca, com o endurecimento na fiscalização de motoristas que dirigem depois de beber, a Pro Teste analisou a Nova Schin, Kronenbier, Crystal, Bavaria e Liber, todas incluídas no ramo "sem álcool". Somente a última realmente não tinha álcool, conforme constatou reportagem do JT publicada no mês passado. As demais estavam com teores de até 0,5%. "A legislação permite níveis de até 0,5% de álcool nas bebidas ditas sem álcool, como no Mercosul, nos Estados Unidos e na Bélgica", diz Roberto Rocha, coordenador geral substituto de vinhos e bebidas do Ministério da Agricultura.

A Pro Teste defende alteração da legislação. "A denominação só deveria ser aplicada no caso de 0% de álcool, pois induz ao erro quem não pode tomar álcool por motivos de saúde ou tratamento médico", diz Maria Inês Dolci, coordenadora institucional da entidade. O baixo teor alcoólico não garante o sucesso no teste do bafômetro - a Lei Seca proíbe dirigir com qualquer quantidade de álcool no sangue.

A avaliação acusou a ausência de advertência como "beba com moderação" nas cervejas Liber, Kronenbier e Nova Schin - que também não indicava que é proibida a comercialização para menores de 18 anos. A Pro Teste notificou a Agência Nacional de Vigilância Sanitária sobre os problemas.

Procuradas, somente a Nova Schin e a Ambev (Kronenbier e Liber) responderam que não foram notificadas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.