O risco de deflação nos Estados Unidos deverá ser reduzido, na medida em que a economia se recuperar, mas não pode ser descartado declarou nesta quinta-feira o presidente do Federal Reserve de Minneapolis, Gary Stern.

Existem atualmente temores contraditórios, o de uma inflação futura alimentada pela política de aumento de liquidez do banco central, e o de uma deflação provocada pela "redução da atividade econômica mundial", declarou Stern em discurso pronunciado em Saint-Paul (Minnesota, centro dos EUA).

"Nenhum desses dois temores pode ser descartado completamente, mas se o crescimento se recuperar nos Estados Unidos como eu espero, a ameaça de deflação deverá diminuir proporcionalmente", acrescentou, segundo o texto de sua intervenção distribuído à imprensa.

mj/fga/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.