Berlim, 6 mar (EFE).- A reunião entre representantes do fabricante de automóveis Opel e seu consórcio matriz General Motors (GM) com o Governo alemão terminou nesta sexta-feira, como se esperava, sem resultados concretos a respeito de uma possível fórmula de salvação da empresa.

"Ainda há muitas questões para esclarecer", disse o ministro da Economia, Karl-Theodor zu Guttenberg, após a reunião.

Guttenberg assegurou que o Governo examinará a situação, mas advertiu que se trata de uma situação altamente complicada.

A Opel quer ajuda do Governo alemão para sair da crise em que se encontra, motivada por vários fatores entre os quais está a má situação do consórcio matriz e a crise econômica em geral.

O Governo exige, no entanto, um plano claro para salvar a Opel e, além disso, pede que a empresa se torne independente da General Motors para evitar que possíveis ajudas estatais terminem nos cofres do consórcio matriz.

A chanceler Angela Merkel interveio nas discussões e comunicou ao chefe da General Motors na Europa, Carl-Peters Forster, que não parece suficiente ao Governo o apresentado até agora pelo consórcio.

Entre as fórmulas de solução foi ventilada a possibilidade de o estado ou os estados federados alemães onde a Opel tem fábricas assumirem o controle da empresa. EFE rz/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.