Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Retaliação do Brasil aos EUA começa dia 7 de abril

GENEBRA - O governo brasileiro informou oficialmente a Organização Mundial do Comércio (OMC) que começará a retaliar os Estados Unidos a partir do dia 7 de abril, com aumento de tarifas na importação de uma série de produtos. A sanção é resultado da briga do algodão, foi fixada por um ano e deve atingir US$ 591 milhões na área de mercadorias.

Valor Online |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237561711015&_c_=MiGComponente_C

Outros US$ 238 milhões serão impostos mais tarde nas áreas de patentes e serviços, conforme o documento enviado pelo governo brasileiro.

A retaliação ainda pode ser suspensa, se até o começo de abril houver um acordo entre os dois governos.

Mas o setor algodoeiro brasileiro tem reiterado que deseja uma compensação pelos prejuízos sofridos pelos bilhões de dólares de subsídios recebidos pelos produtores americanos que, dessa forma, puderam obter mais fatias de mercado.

No dia 10 de março, em discurso de inauguração da termoelétrica Euzébio Rocha em Cubatão (SP), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva incluiu um apelo ao presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, para que o conflito comercial entre os dois países envolvendo subsídios da produção de algodão seja resolvido com "rapidez" e "respeito" ao Brasil e à Organização Mundial do Comércio (OMC). "Eu queria pedir para o companheiro Obama que coloque suas pessoas para negociar rapidamente.

O Brasil não tem nenhum interesse em nenhuma confrontação com os Estados Unidos. Mas o Brasil tem interesse que os Estados Unidos respeitem as decisões da OMC tanto quanto o Brasil respeitará quando a OMC decidir contra nós", afirmou Lula.

Segundo o presidente, "há sete anos o Brasil tem brigado na OMC para que os EUA tirem o subsídio do algodão para seus produtores". E a organização "deu ganho de causa" para o Brasil.

(com informações da Agência Estado)

 

Leia mais sobre: disputa comercial

Leia tudo sobre: euaomcretaliação

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG