Tamanho do texto

Washington, 31 mar (EFE).- As reservas de petróleo dos Estados Unidos subiram na semana passada em 2,9 milhões de barris e se situaram em 354,2 milhões, 0,8% a mais que na semana anterior, informou hoje o Departamento de Energia americano.

Washington, 31 mar (EFE).- As reservas de petróleo dos Estados Unidos subiram na semana passada em 2,9 milhões de barris e se situaram em 354,2 milhões, 0,8% a mais que na semana anterior, informou hoje o Departamento de Energia americano. Apesar da leve queda, o Departamento indicou que as reservas ficaram acima da média para esta época do ano. Depois que foram divulgados os dados oficiais das reservas, na Bolsa Mercantil de Nova York, o preço de futuros do petróleo bruto para entrega em maio subiu US$ 1,13, chegando ao valor de US$ 83,50 por barril (159 litros). Os estoques de gasolina aumentaram em 300 mil barris, situando-se em 224,9 milhões, acima da média para esta época do ano, frente aos 224,6 milhões de barris registrados na semana anterior, o que representa um aumento de 0,1%. Na Bolsa Mercantil de Nova York, o preço da gasolina reformulada para entrega em maio caiu US$ 0,76, valendo US$ 2,26 o galão. As reservas de combustível para calefação caíram em 1,1 milhão de barris, 0,8% a menos, situando-se em 144,6 milhões de barris, frente aos 145,7 milhões da semana anterior. Na Bolsa Mercantil de Nova York, o preço do combustível para calefação para entrega em abril subiu US$ 3,21, passando a valer US$ 2,16 o galão. Esses números excluem a Reserva Estratégica de Petróleo do Governo dos Estados Unidos, que conta com 726,6 milhões de barris, o mesmo volume que na semana anterior. O total de reservas de petróleo e produtos refinados nos Estados Unidos, incluindo a Reserva Estratégica, chegou na semana passada a 1,769 bilhão de barris frente aos 1,765 bilhão da semana anterior. O Departamento de Energia informou que na semana passada as refinarias petrolíferas nos Estados Unidos operaram com 82,6% de sua capacidade, comparado com os 81,1% da semana anterior. EFE elv/sa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.