Tamanho do texto

Washington, 1 out (EFE).- As reservas de petróleo nos Estados Unidos aumentaram 4,3 milhões de barris na semana passada e alcançaram o total de 294,5 milhões, anunciou hoje o Departamento de Energia americano.

A maioria dos analistas esperava um aumento das reservas de petróleo, como finalmente ocorreu.

A agência informou que, com esta alta de 1,5%, as reservas de petróleo se encontram dentro da média nesta época do ano.

Na semana anterior, as reservas chegavam a 290,2 milhões de barris. O volume de reservas foi na semana passada 5,8% inferior ao de um ano antes.

Imediatamente após serem divulgadas as informações oficiais o preço de futuros do petróleo para entrega em novembro caiu US$ 2,17, para US$ 98,47 o barril (159 litros) na Bolsa Mercantil de Nova York.

Com relação aos estoques de gasolina, o relatório afirmou que aumentaram em 900 mil barris (0,5%), com o que alcançou o total de 179,6 milhões, em comparação aos 178,7 milhões da semana anterior.

Na Bolsa Mercantil de Nova York o preço da gasolina reformulada para entrega em novembro caiu US$ 0,0589, para US$ 2,3980 por galão (US$ 0,6343 por litro).

As reservas de combustível para calefação tiveram uma queda de 2,3 milhões de barris (1,8%) e chegaram a 123,1 milhões, em comparação aos 125,4 milhões da semana anterior.

Na Bolsa Mercantil de Nova York o preço do combustível para calefação para entrega em novembro caiu US$ 0,0523, para US$ 2,8424 por galão (US$ 0,7519 por litro).

O relatório também disse que na última semana as refinarias dos EUA operaram com 72,3% de sua capacidade, em comparação ao 66,7% da semana anterior.

Estes números excluem a Reserva Estratégica de Petróleo do Governo dos EUA, que conta com 704,4 milhões de barris, uma diminuição de 0,2% dos 705,8 milhões de barris da semana anterior.

O total de reservas de petróleo e produtos refinados nos Estados Unidos, incluída a Reserva Estratégica, alcançou na semana passada 1,6497 bilhão de barris frente ao 1,6506 bilhão de barris da semana anterior. EFE jab/fal

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.