Ribeirão Preto, SP, 03 - Os 70 representantes de mais de 30 países da América Latina, Caribe e África, que estão no País para conhecer a experiência brasileira na produção e utilização do etanol de cana-de-açúcar, visitaram hoje a Feira Internacional da Indústria Sucroalcooleira (Fenasucro), em Sertãozinho (SP). Os técnicos assistiram à palestra sobre a atual situação da cultura como matriz energética no Brasil e no mundo, ministrada pelo assessor da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) Ângelo Bressan.

Na região de Ribeirão Preto, os representantes dos países convidados conheceram a feira, visitaram uma micro-destilaria de álcool e campos experimentais de cana para a obtenção de novas variedades e implantação em áreas comerciais. Conheceram também o Centro Nacional das Indústrias do Setor Sucroalcooleiro e Energético (Ceise), que congrega 187 empresas de açúcar, álcool, energia, equipamentos e máquinas.

Os técnicos estrangeiros estão no País para 1ª Semana do Etanol: Compartilhando a Experiência Brasileira, na qual conhecem todo o processo de produção de cana, açúcar e álcool. O evento é realizado até sexta-feira no Centro de Ciências Agrárias (CCA), no campus Araras (SP) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) pela instituição de ensino e os ministérios das Relações Exteriores e da Agricultura.

"Houve grande receptividade dos países convidados e o Brasil tem interesse em transmitir informações para que o etanol se consolide como uma commodity e gere investimentos não só internamente, mas também nesses países parceiros", disse Alexandre Strapasson, diretor de Cana-de-Açúcar e Agroenergia do Ministério da Agricultura.

Além das visitas, foram discutidos o intercâmbio de conhecimento e tecnologia para a produção do etanol; as variedades e manejo varietal da cana-de-açúcar para obtenção de novos clones; a formação de mudas, de viveiros primários e secundários; e o etanol como combustível e aditivo; além da evolução do setor sucroalcooleiro, das características tecnológicas, dos processos de avaliação da qualidade industrial da cana-de-açúcar e das opções de matérias-primas no processo produtivo do etanol.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.