Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Rentabilidade estimula plantio do feijão das águas, avalia Conab

São Paulo, 08 - Os bons preços pelos produtores de feijão ao longo deste ano e o reajuste dos preços mínimos pelo governo federal estão levando os agricultores a apostar no plantio da leguminosa nesta safra. Segundo os dados do primeiro levantamento de intenção de plantio divulgados hoje pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a área plantada de feijão deve oscilar entre 1,43 milhão de hectares e 1,47 milhão de hectares.

Agência Estado |

O crescimento é estimado entre 8,6% e 11,6% em relação à safra passada, quando foram cultivados 1,313 milhão de hectares.

Caso os dados projetados pela Conab se confirmem, a produção nacional deve atingir de 1,39 a 1,43 milhão de toneladas, crescimento entre 11,5% e 15,2%. Os técnicos comentam que como o plantio do feijão de primeira safra ocorre até meados de dezembro, os dados relativos à área a ser plantada e à produção podem sofrer ajustes no decorrer do período, dependendo do comportamento do clima e dos preços no mercado.

Os técnicos da Conab observam que a área de feijão aumentou nos principais Estados e lembram que a plantio da safra passada foi prejudicado pela estiagem e baixos preços na época de implantação da cultura. Segundo os técnicos, a boa remuneração deste ano e o reajuste dos preços mínimos estão sendo mais fortes que a alta dos custos de produção (adubos, sementes, combustível) e o risco climático inerente à cultura.

Clima

Em relação às condições climáticas atuais, os técnicos dizem que as precipitações ocorridas na região Centro-Sul beneficiaram as áreas já semeadas, trazendo a umidade necessária para a condução do preparo do solo e plantio do restante das áreas do feijão das águas. "As previsões climáticas são otimistas para o próximo trimestre, com chuvas regulares, a partir de outubro, desta forma, favorecendo o desenvolvimento das lavouras."

O levantamento da Conab mostra que no Paraná, principal Estado produtor, haverá o maior crescimento percentual da área plantada (entre 18,0% e 23%) e absoluto (entre 51,6 mil hectares a 65,9 mil hectares). Em Minas Gerais, segundo maior produtor, estima-se um crescimento de 4,0% a 6,0% de área em relação à safra passada. A grande maioria das áreas encontra-se na fase de preparo de solo. Em Santa Catarina, o crescimento de área está estimado entre 6,0% e 10,0%.

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG