Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Renda do trabalho sobe pelo 3º ano, mas não recupera valor de 1997

SÃO PAULO - O rendimento médio real mensal do trabalho das pessoas de 10 anos ou mais subiu pelo terceiro ano seguido em 2007, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD 2007), divulgada hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A alta não foi suficiente, contudo, para que se superasse o rendimento médio real mensal do trabalho observado em 1997.

Valor Online |

O aumento real foi de 3,2% entre 2006 e 2007, mas ficou abaixo dos 7,2% observados entre 2005 e 2006 e dos 4,5% verificados entre 2004 e 2005. Desde 2004, o crescimento acumulado foi de 15,6%, período em que o indicador pulou de R$ 827,00 para R$ 956,00.

Na comparação com 1997, no entanto, o rendimento médio ainda não recuperou o valor de R$ 1.011,00 observado na ocasião. Neste caso, com os valores ajustados à cobertura geográfica da PNAD existente até 2003, o rendimento médio real mensal do trabalho foi de R$ 960,00 no ano passado, 5% abaixo do valor de dez anos atrás.

"Ademais, na década atual, o valor de 2007 é o mais elevado, pois observaram-se perdas sucessivas dos valores reais das remunerações médias até 2003, com estabilidade desse valor médio em 2004 e o registro de ganhos reais em 2005, 2006 e 2007", diz o IBGE.

Na comparação de 2007 com 2006, o confronto regional evidenciou a ocorrência de maiores ganhos nas Regiões Centro-Oeste (8,0%) e Norte (5,7%). No Nordeste, Sul e Sudeste, foram registrados crescimentos de 2,2%, 3,8% e 1,9%, respectivamente. O menor rendimento médio real mensal de trabalho das pessoas ocupadas foi observado, em 2007, no Nordeste, R$ 606,00. A Região Centro-Oeste apresentou o maior valor, R$ 1.139,00.

O rendimento médio real de todas as fontes registrou aumento, de 2004 para 2007, de 14,8%, apresentando ganhos de 5,1%, de 2004 para 2005; de 6,1%, de 2005 para 2006; e de 2,7%, de 2006 para 2007. Os valores reais médios obtidos de todas as fontes alcançados nestes quatro anos foram R$ 820,00, R$ 862,00, R$ 916,00 e R$ 941,00, respectivamente.

O rendimento médio real domiciliar (domicílios particulares permanentes com rendimento) foi de R$ 1.567,00; em 2004, R$ 1.645,00, em 2005, R$ 1.770,00, em 2006; e R$ 1.796,00, em 2007, apresentando ganhos reais por três anos consecutivos: de 5%, em 2005, de 7,6%, em 2006; e de 1,5%, em 2007. No último período anual sob estudo, a exceção foi a Região Sudeste, onde se observou estabilidade (de R$ 2.089,00 para R$ 2086,00). Nas demais Grandes Regiões, houve crescimento do rendimento no período, sendo que de 2006 para 2007, o maior avanço, de 6,1%, foi observado no Centro-Oeste. O menor, 1,9%, foi registrado no Nordeste.

No Norte, o ganho real do rendimento domiciliar médio correspondeu a 3,8% e, no Sul, 3,2%. Com esses resultados, o menor rendimento (R$ 1.164,00, no Nordeste) correspondeu a 55,8% do maior (R$ 2.086,00, no Sudeste) em 2007. Em 2006, essa fração correspondia a 54,7% e, em 2005, a 52,8%.

"(Rafael Rosas | Valor Online)"

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG