O faturamento da atividade agrícola deve cair 6,9% em 2009 para R$ 153,3 bilhões, conseqüência da queda dos preços das commodities (matérias-primas) no mercado interno e da expectativa de uma safra menor no ano que vem, informou hoje o Ministério da Agricultura. É a primeira vez que o governo divulga uma previsão para a renda agrícola do ano seguinte.

A renda é calculada com base no Valor Bruto da Produção (VBP) de 20 produtos agrícolas.

O ministério também divulgou uma previsão para o resultado deste ano, que deve ser de R$ 164,6 bilhões, crescimento de 15,9% se comparado ao resultado de 2007. A inflação já foi descontada dos cálculos, explicou o coordenador-geral de Planejamento Estratégico do Ministério da Agricultura, José Garcia Gasques.

Ele disse que a expectativa é de redução na produção de várias lavouras, perspectiva confirmada pelos números divulgados ontem pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). No caso do algodão, a expectativa é de recuo de 18,6% na renda, de R$ 4,264 bilhões em 2008 para R$ 3,471 bilhões no ano que vem. A Conab estimou queda de 20,8% na produção de algodão na safra atual, 2008/09.

Também há previsão de queda na produção de milho. A expectativa dos técnicos da estatal é de recuo de 7,4% na produção na safra de verão. No caso do milho, a expectativa do ministério é de recuo de 21% na renda, de R$ 24,808 bilhões neste ano para R$ 19,565 bilhões em 2009. Para a soja, o recuo de 2% na produção vai representar queda de 5,7% na renda da lavoura, de R$ 44,442 bilhões para R$ 41,903 bilhões.

O governo também informa que haverá redução na produção de café, cuja renda vai cair 3%; cebola (-14%); laranja (-13,7%); e trigo (-32,4%). "Esses cálculos foram feitos com base em prognósticos e podem sofrer alterações no decorrer do ano", lembrou Gasques.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.