Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Renault desiste de metas após queda do lucro

PARIS - A montadora francesa Renault desistiu de suas metas de lucro de 2009 nesta quinta-feira diante da crise sem precedentes que a empresa vê como capaz de mudar o cenário do setor.

Reuters |

O grupo divulgou uma forte queda no lucro líquido e nas vendas de 2008 devido ao que classificou como "crise financeira e econômica de proporções maciças". A Renault ainda espera que o mercado piore e desistiu de pagar dividendos relativos ao ano passado.

O novo vice-presidente operacional, Patrick Pelata, afirmou que a montadora está completamente mobilizada para enfrentar a crise e está focando na geração de fluxo de caixa livre positivo. Ele afirmou a jornalistas que a empresa está considerando vender imóveis e racionalizar fábricas na região de Paris e está buscando 250 milhões de euros em economias adicionais de custos por meio da aliança que mantém com a japonesa Nissan, da qual detém 44% de participação.

O presidente-executivo da Renault e da Nissan, Carlos Ghosn, que também preside a associação da indústria automotiva europeia, pediu mais apoio estatal ao setor e disse que a crise é profunda e que vai mudar a face da indústria.

Ecoando comentários do presidente-executivo da Fiat, Sergio Marchionne, cuja companhia está negociando uma aliança com a Chrysler, Ghosn disse que haverá menos montadoras no mundo depois da crise.

O lucro líquido da Renault caiu para 599 milhões de euros no ano passado ante 2,734 bilhões de euros em 2007. O lucro antes de juros e impostos caiu para 212 milhões de euros, ficando aquém da média de estimativas de analistas ouvidos pela Reuters Estimates, de 794,43 milhões de euros.

A empresa superou a meta de redução de estoques de veículos não vendidos, encerrando o ano com 5,3 bilhões de euros em inventários. A companhia cortou produção duas vezes mais rápido que a queda das vendas no quarto trimestre.

As vendas do grupo em 2008 caíram 7% , para 37,791 bilhões de euros, ante estimativa média de analistas de 38,858 bilhões de euros.

Leia tudo sobre: renault

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG