Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Remessa de lucro ao exterior diminui ritmo no começo deste ano

BRASÍLIA - Após atingir o recorde de US$ 33,875 bilhões em 2008, caiu o ritmo das remessas de lucros e dividendos das multinacionais nos primeiros dias de 2009. Mas continua forte o resgate de estrangeiros em títulos de renda fixa, que somam US$ 1,45 bilhão em janeiro até hoje, e outros US$ 711 milhões em resgate de investimentos em ações.

Valor Online |

Dados do Banco Central (BC) apontam que neste mês, as remessas de lucros somam US$ 480 milhões. A expectativa do governo é de que a desaceleração da economia interna reduza essas remessas para US$ 20 bilhões neste ano.

O recorde de US$ 33,875 bilhões, bem superior aos US$ 22,453 bilhões no envio de lucros em 2007, foi um das principais pressões para o déficit da conta corrente de US$ 28,3 bilhões no ano passado.

O chefe do Departamento Econômico do BC, Altamir Lopes, justificou esses números pelo aumento do estoque de investimentos estrangeiros no país. Somente o investimento direto atingiu US$ 381,18 bilhões na posição apurada até junho.

E a crise também turbinou as remessas. A boa lucratividade obtida com a forte expansão doméstica até setembro gerou remessas maiores para as multinacionais, para cobertura de posições das matrizes atingidas pela crise.

A desaceleração da economia brasileira esperada para 2009 vai gerar menos lucros para serem remetidos, ponderou Lopes. Também deve ter um impacto menor para o déficit na conta de transações correntes a queda nas viagens internacionais em conseqüência da alta de preço do dólar americano.

Os déficit na conta de viagens bateu o recorde de US$ 5,177 bilhões em 2008, com despesas em US$ 10,96 bilhões e receitas de turistas estrangeiros no país em US$ 5,78 bilhões, outro valor recorde. Em janeiro até hoje, porém, essa conta está deficitária em US$ 187 milhões.

Segundo o BC, os investimentos em ações fecharam o ano com saída líquida de US$ 7,565 bilhões, sendo US$ 911 milhões em dezembro. Já as aplicações em renda fixa tiveram saldo positivo de US$ 6,798 bilhões no ano, embora em dezembro tenha ocorrido a fuga expressiva de US$ 4,464 bilhões.

A autoridade monetária também informou o pagamento de US$ 1,332 bilhão em juros da dívida no mês até hoje, mais uma saída de divisas a impactar o fluxo cambial negativo.

(Azelma Rodrigues | Valor Online)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG