Tamanho do texto

SÃO PAULO - A inflação medida pelo IPCA deve acumular variação 6,2% em 2008, conforme projeção central da autoridade monetária contemplada no Relatório Trimestral Inflação relativo a dezembro, elaborado pelo Banco Central (BC).

A estimativa supera em 0,1 ponto aquela do relatório anterior, de setembro, quando a autoridade monetária previa IPCA de 6,1% para o acumulado deste calendário.

A projeção se distancia do centro da meta definida pelo governo, de 4,5%, e está mais perto do teto - que é de 6,5%, já considerada a margem de tolerância de 2 pontos percentuais.

O cenário de referência utilizado pela autoridade monetária nessas projeções inclui manutenção da taxa Selic em 13,75% ao ano e taxa de câmbio constante em R$ 2,40 - posição em que se encontravam após a reunião realizada neste mês pelo Comitê de Política Monetária (Copom). No relatório de setembro, quando projetou IPCA de 6,1% para este ano, a taxa de câmbio usada nos cálculos foi de R$ 1,80.

A estimativa feita com base no cenário dos analistas de mercado também ficou em 6,2% na projeção central, com aumento de 0,2 ponto no confronto com o relatório antecedente. No cenário usado pelo mercado financeiro, a Selic chegaria a uma média de 13,68% e taxa de câmbio a R$ 2,25. No documento de setembro, foram levadas em conta Selic a 14,13% anuais e taxa de câmbio de R$ 1,65 por dólar no último trimestre de 2008.

Leia mais sobre: inflação