Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Relatório da Aeronáutica inocenta pilotos do Legacy

BRASÍLIA - O relatório final do acidente, envolvendo o Boeing da Gol e o avião Legacy, que seguia para os Estados Unidos, concluiu que não existe nada que comprove a intenção dos pilotos do Legacy, Joseph Lepore e Jan Paladino, de terem desligado o transponder (aparelho que detecta se outro avião em sentido contrário está em rota de colisão). A informação foi dada pelo presidente do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), brigadeiro Jorge Kersul Filho, ao divulgar ontem o resultado final das investigações.

Valor Online |

O acidente ocorreu no dia 29 de setembro de 2006 e causou a morte de 154 pessoas, entre tripulantes e passageiros da Gol. O Boeing, que fazia o vôo 1907, ia de Manaus (AM) para o Rio de Janeiro, com previsão de fazer escala em Brasília (DF). Ao sobrevoar a região amazônica, bateu no Legacy da empresa de taxi aéreo americana ExcelAire.

Os destroços do Boeing caíram em uma mata fechada, a 200 km do município de Peixoto de Azevedo, no Estado de Mato Grosso. Mesmo avariado, o Legacy, que transportava sete pessoas, conseguiu pousar em segurança em uma base na serra do Cachimbo (PA).

De acordo com Kersul, o relatório concluiu, no que se refere ao fato de o transponder estar desligado durante parte do vôo, que não houve intenção dos pilotos do Legacy de desligarem o aparelho.

" Não existe nada que comprove que houve intenção [dos pilotos do Legacy] de desligar o transponder. Não há um som, um movimento ou necessidade [registrado na caixa preta] que tenha havido intenção. Não haveria por que fazer isso. A hipótese mais provável é que o transponder tenha sido desligado inadvertidamente. Para a comissão investigadora, a contribuição desse fato para o acidente foi indeterminado. Não temos como afirmar categoricamente que alguém foi lá e colocou o equipamento em standby " , disse.

O presidente do Cenipa afirmou ainda que testes realizados, em dezembro de 2006 e fevereiro de 2007, demonstraram que o transponder e os equipamentos de radionavegação do Legacy não apresentavam erros de projeto ou de funcionamento integrado, o que levou a comissão a eliminar a possibilidade de falha ou defeito no equipamento. O brigadeiro ressaltou que o objetivo da investigação da Aeronáutica não é encontrar os culpados, mas evitar que novos acidentes ocorram.

Na segunda-feira, o juiz federal de Sinop (MT) Murilo Mendes absolveu os pilotos Lepore e Paladino da acusação de negligência pela conduta relacionada a adoção de procedimentos de emergência e eventual falha de comunicação com o Centro Integrado de Defesa Aérea e de Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta). Na mesma decisão, o juiz absolveu os controladores de tráfego aéreo Felipe Santos dos Reis e Leandro José Santos de Barros de qualquer tipo de acusação.

No caso de de Jomarcelo Fernandes dos Santos, a acusação de conduta dolosa (intencional) foi desclassificada para culposa pelo juiz. Lucivando Tibúrcio de Alencar, o quarto controlador de tráfego aéreo também envolvido, foi absolvido da acusação de negligência.

(Valor Econômico)

Leia tudo sobre: home

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG