Abu Dhabi, 1 jul (EFE).- O rei da Arábia Saudita, Abdullah bin Abdul Aziz, disse que um aumento da produção de petróleo da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) não diminuirá os preços nos mercados internacionais e insistiu em que isso depende de outros fatores.

"Enganam-se aqueles que acham que, assim que aumentar a produção, os preços diminuirão, já que há indícios de que os preços continuarão altos", disse o monarca, cujo país é o maior produtor do mundo, em entrevista publicada hoje pelo jornal kuwaitiano "Arab Times".

O monarca se referiu à recente conferência em Jidá dos produtores e dos consumidores de petróleo, na qual o rei Abdullah considerou "injustificável" a constante alta do preço, e a atribuiu à especulação e a causas geopolíticas.

O rei defendeu a atuação da Opep e disse que o cartel não controla os preços, mas estes "dependem da oferta e da demanda", e afirmou que "o preço pode diminuir se houver outras fontes de energia alternativa".

Inclusive neste caso, acrescentou, "os preços subirão, devido à pujante economia mundial".

A Arábia Saudita foi alvo de contínuas pressões americanas para aumentar sua produção e a da Opep, algo que vários membros do cartel rejeitaram, ao considerar que as provisões são suficientes. EFE fa/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.