Consumidores aproveitaram julho para limpar o nome no comércio varejista

selo

Consumidores aproveitaram julho para limpar o nome no comércio varejista. Dados da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) Brasil divulgados ontem revelam um aumento de 17,92% de junho para julho na regularização dos débitos. Para o presidente da CNDL, Roque Pellizzaro Junior, além da estabilidade econômica e do mercado de trabalho aquecido, outros dois fatores colaboraram: férias e restituição do Imposto de Renda. Em julho, algumas famílias recebem, além das férias, a primeira parcela do 13.º salário. Quanto ao IR, a receita liberou o segundo lote de restituição de 2010, o segundo maior da história, de R$ 2,09 bilhões. "Com dinheiro extra, consumidores aproveitam para quitar suas dívidas", disse Pellizzaro Jr. Em relação a julho do ano passado, houve um aumento (4,34%) no número de pessoas que tiraram seu nome da lista do SPC. De janeiro a julho deste ano, o aumento dos cancelamentos foi de 5,58% na comparação com os mesmos sete meses de 2009. Os dados da CNDL/SPC mostraram que as mulheres foram as que mais procuraram o serviço (52,3%). Os consumidores que mais regularizaram seus débitos foram os que têm de 30 a 39 anos (27,88%). Já os clientes com mais de 65 anos foram os que menos procuraram (6,76%). Mais de metade das dívidas atrasadas acompanhadas pelas entidades é de curto prazo, ou de até 90 dias. Em julho, 22% dos consumidores ficaram inadimplentes por até 13 dias; 14%, por um mês; 11%, por dois meses, e 6% por três meses. Há, no entanto, dívidas em atraso por mais tempo: 11% dos clientes do comércio não conseguem regularizar a situação por seis meses e 8%, por um ano. Já 10% dos consumidores ficaram inadimplentes por até dois anos; 5%, por três anos; 5%, por quatro anos; 7% por cinco anos e 1% dos casos prescreveram no período. Além de limpar o nome, o consumidor vem tomando cuidado para deixar o pagamento dos débitos em dia. Em julho, houve queda da inadimplência de 1,41% na comparação com junho e de 5,99% em relação ao mesmo período de 2009. No ano até julho, a redução é de 2,53% ante os mesmos meses do ano passado. Vendas. Os cancelamentos não foram o único dado positivo de julho. No mês passado, houve aumento de 4,26% nas consultas ao SPC Brasil em relação a junho. O SPC contabiliza vendas a prazo e pagamentos em cheque e funciona como um termômetro das vendas do período. Na comparação com idêntico mês do ano passado, o crescimento foi de 9,05% e, no acumulado de janeiro a julho, houve aumento de 8,01% ante o mesmo período de 2009.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.