Publicidade
Publicidade - Super banner
enhanced by Google
 

Reguladores dos EUA propõem sistema único de interrupção de negócios

SÃO PAULO - Os principais órgãos reguladores do mercado financeiro americano - Securities and Exchange Commission (SEC) e Financial Industry Regulatory Authority (Finra) - anunciaram hoje uma proposta para criar um sistema único e sincronizado de interrupção de negócios (circuit braker) para ações que apresentarem oscilações de mais de 10% em um período de cinco minutos. A proposta será aberta à consulta pública.

Valor Online |

SÃO PAULO - Os principais órgãos reguladores do mercado financeiro americano - Securities and Exchange Commission (SEC) e Financial Industry Regulatory Authority (Finra) - anunciaram hoje uma proposta para criar um sistema único e sincronizado de interrupção de negócios (circuit braker) para ações que apresentarem oscilações de mais de 10% em um período de cinco minutos. A proposta será aberta à consulta pública. A medida é uma reação ao comportamento inesperado dos mercados no dia 6 de maio, quando diversas ações apresentaram quedas repentinas muito fortes - supostamente provocadas a partir do erro de um operador. Mesmo com a forte queda, as ações continuaram em negociação em alguns mercados e o movimento provocou uma oscilação abrupta dos índices das bolsas em Wall Street. Ao contrário do Brasil, onde as ações estão concentradas na Bovespa, nos EUA é possível operar a mesma ação em diferentes plataformas de negociação. "Nós continuamos acreditando que o problema enfrentado pelos mercados no dia 6 de maio foi agravado pelas regras diferentes de negociação adotadas pelas bolsas", observou a presidente da SEC, Mary Schapiro. Por isso, ela defende que todas as bolsas adotem um padrão único de circuit braker, que possa ser acionado simultaneamente quando necessário. Schapiro disse que as conversas entre bolsas e reguladores caminham para um consenso sobre a necessidade desse sistema unificado. Inicialmente, o circuit braker conjunto deverá ser adotado para uma base piloto de ações, a partir de 10 de dezembro. Durante esse período, os mercados farão ajustes em seus parâmetros de operação para garantir o bom funcionamento do circuit braker. O objetivo é ampliar a cobertura do sistema para todos os ativos do S & P 500, incluindo fundos de índices (ETFs na sigla em inglês) e derivativos. (Téo Takar | Valor)

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG